pinnacle

AgRural vê o plantio de soja do Brasil mais atrasado desde 19/20 e riscos em MT

Publicado em 20/11/2023 17:58

Logotipo Reuters

tag:reuters.com,2023:binary_LYNXMPEJAJ0F6-VIEWIMAGE

SÃO PAULO (Reuters) -O plantio de soja da safra 2023/24 do Brasil havia atingido 68% da área estimada até a última quinta-feira, configurando o mais baixo índice para esta época do ano desde a safra 2019/20, devido ao excesso e à falta de umidade em diferentes regiões, informou a consultoria AgRural nesta segunda-feira.

Até a semana anterior, o plantio havia atingido 61% da área, enquanto era de 80% no mesmo período do ano passado, de acordo com levantamento da AgRural, que chamou a atenção em relatório para riscos em Mato Grosso, maior produtor brasileiro.

A consultoria citou ainda excesso de chuvas no Sul e a falta delas no Norte/Nordeste.

"Mas é em Mato Grosso que o foco das preocupações ainda se concentra, já que as chuvas registradas na semana passada continuaram irregulares e o calor foi grande", disse a consultoria.

"Com pouca umidade, a necessidade de replantio aumenta. A esta altura, porém, os produtores das áreas mais afetadas se dividem entre replantar, deixar a soja do jeito que está para ver se ela se recupera pelo menos parcialmente, ou abandonar parte das lavouras e partir direto para o plantio da segunda safra no início de 2024."

Segundo informações do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), o replantio em Mato Grosso atingiu 3,7% da área, até a última semana.

O clima seco está forçando os agricultores a desistir da soja para plantar algodão ou outras culturas em Mato Grosso, o principal Estado agrícola do Brasil, segundo associações de produtores da pluma disseram à Reuters, na semana passada.

O replantio também é uma possibilidade em áreas de Mato Grosso do Sul, Goiás e Minas Gerais, caso as chuvas não melhorem nos próximos dias.

"De um modo geral, a irregularidade das precipitações é um problema em grande parte das áreas produtoras do Centro-Oeste, Norte/Nordeste e Sudeste, mas a situação não é tão preocupante como em Mato Grosso", destacou.

No Sul do país, as chuvas seguem frequentes e deixam o plantio muito lento no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. No Paraná, a umidade dificulta o avanço das máquinas nas áreas de calendário mais tardio. "Nas regiões onde o plantio já está finalizado, porém, a safra se desenvolve bem."

Já o plantio de milho verão estava em 80% da área estimada para o centro-sul do Brasil até quinta-feira, contra 76% uma semana antes e 82% no mesmo período do ano passado, de acordo com dados levantados pela AgRural.

Os trabalhos com o milho estão praticamente encerrado nos três Estados do Sul, mas o excesso de umidade preocupa os produtores devido às dificuldades impostas ao manejo das lavouras e à possibilidade de falhas de polinização.

(Por Roberto Samora)

Já segue nosso Canal oficial no WhatsApp? Clique Aqui para receber em primeira mão as principais notícias do agronegócio
Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário

    pinnacle Mapa do site