pinnacle

Os confinamentos para o primeiro giro já começaram e pelas contas da Scot Consultoria, com o melhor resultado dos últimos 3 anos

Publicado em 31/03/2023 13:25 e atualizado em 03/04/2023 10:36
Felipe Fabbri - Analista de Mercado da Scot Consultoria
Em comparação com 2021, último ano de rentabilidade positiva, esse resultado de R$270 por animal é quase 6 vezes maior

Podcast

Os confinamentos para o primeiro giro já começaram e pelas contas da Scot Consultoria, com o melhor resultado dos últimos 3 anos

Logotipo pinnacle

Hoje trazemos uma análise do mercado pecuário com o analista de mercado da Scot Consultoria, Felipe Fabbri. Segundo Fabbri, a volta da China ao mercado pecuário brasileiro trouxe uma movimentação positiva em todas as praças pecuárias do país. As relações com as plantas habilitadas foram restabelecidas, uma planta foi reabilitada e mais quatro plantas frigoríficas foram abertas para exportação.

Essa movimentação levou a uma procura maior pelos frigoríficos, destacando os exportadores, o que também refletiu no preço do boi destinado ao mercado interno. Fabbri afirma que ao longo da semana, os frigoríficos abriram com preços maiores e praticamente todas as praças conseguiram avançar com boa parte das escalas pelo país.

Para a próxima semana, Fabbri afirma que o mercado físico do boi ainda é incerto. Os preços maiores podem ser mantidos, mas é preciso observar a movimentação do mercado, principalmente em relação às exportações e às escalas dos frigoríficos.

Em resumo, a volta da China ao mercado pecuário brasileiro trouxe uma movimentação positiva nas praças pecuárias do país, refletindo em preços maiores para o boi destinado às exportações e ao mercado interno. 

Além disso, a expectativa de crescimento do PIB chinês em 5% neste ano gera um viés otimista em relação ao consumo de carnes em geral, com destaque para a carne bovina, principal insumo da pecuária de corte.

Por outro lado, o mercado externo, especialmente a demanda chinesa, tem sido o grande suporte para os preços do boi gordo no curto prazo. Fabbri ressalta que há notícias de surtos de peste suína africana novamente na China, o que pode levar ao descarte de animais e, consequentemente, aumentar a oferta de carne suína no mercado local. Isso pode estimular ligeiramente a questão do consumo de outras proteínas, mas no médio prazo, pode beneficiar a demanda para importação de carne pelo mercado chinês devido à menor oferta de carne suína no futuro.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje pela manhã os dados referentes ao desemprego no país no primeiro trimestre de 2023. Segundo o levantamento, a taxa de desemprego apresentou um ligeiro aumento em relação ao último levantamento, com um aumento de 0,5 pontos percentuais, chegando a 8,6% de desemprego no período considerado. No entanto, quando se leva em consideração o histórico dos últimos anos, esse patamar ainda é bastante positivo, levando em conta uma série desde 2015 até o momento.

Além disso, quando se analisa os preços no mercado varejista neste fechamento de mês, percebe-se uma queda nos preços das carnes em praticamente todas as praças monitoradas pela Scot Consultoria. Isso se aplica especialmente nos grandes centros como São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná. Essa queda nos preços pode estimular o consumo e contribuir para uma perspectiva mais positiva para a economia brasileira.

Outro ponto a ser considerado é a virada de mês e o final da Quaresma, um período que afeta o consumo de carne bovina no país. Com a possibilidade de estímulo e o recebimento de salários, espera-se um viés positivo para a economia.

O analista explicou que, em São Paulo, o preço do boi para exportação está em torno de R$ 300 por arroba, podendo chegar a R$ 310 em alguns casos. Esses valores são consideravelmente mais altos do que os praticados antes do embargo chinês, quando a referência era de cerca de R$ 270 por arroba.

Em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, duas outras importantes regiões produtoras, os preços também estão acima do patamar pré-embargo, com referências em torno de R$ 270 e R$ 275 por arroba, respectivamente. Já em Goiás, a referência atual é de R$ 290 por arroba, o que representa uma alta expressiva em relação aos preços praticados até pouco tempo atrás.

Nos últimos dias, a questão do ágio do boi tem sido bastante discutida no mercado pecuário. Em algumas praças, como em Goiás, o ágio já chegou a abrir bastante em outras ocasiões. No entanto, o que se tem visto recentemente é um aumento significativo nessa diferença de preço.

De acordo com especialistas do setor, o ágio na praça goiana chegou a quase 10% em relação ao valor do boi comum, o que representa cerca de 30 reais a mais por cabeça para o boi destinado à China. Essa diferença tem sido impulsionada pela alta demanda chinesa, que busca cada vez mais a carne bovina brasileira.

A expectativa é que esse ágio continue se ampliando ao longo do ano, especialmente se a demanda chinesa continuar em alta. O mercado pecuário brasileiro tem se beneficiado bastante desse cenário, principalmente com a valorização do boi destinado à exportação.

Confinamento

Com o início da temporada de confinamento de 2023, o mercado se mostra favorável para os confinadores, principalmente com a demanda chinesa em alta. No entanto, a atratividade para o confinamento é avaliada levando em consideração o custo de produção, o preço da reposição e o custo dos insumos, que estão menores em relação aos últimos anos.

De acordo com Felipe, da Scot Consultoria, o preço de referência para o boi magro no mercado paulista é de R$ 3.500. Esse valor reflete a pressão de baixa devido à sobre oferta de bezerros no ano passado, como resultado, as cotações hoje estão mais baixas.

Considerando esse cenário, a Scot Consultoria calculou um possível resultado de R$ 270 por cabeça para o confinamento, com o preço de venda futuro em julho de R$ 296 por arroba, mantendo uma diária de confinamento próxima ao que foi praticado no ano passado, em torno de R$ 20 por cabeça.

Segundo Felipe, esse resultado ainda é positivo em comparação com os últimos anos, com 2022 apresentando um prejuízo de R$ 200 por cabeça e 2021 com um resultado de R$ 48 por cabeça no primeiro giro. No entanto, é importante ressaltar que a referência de preço para o mercado futuro pode ser diferente durante a entrega da boiada no mercado físico, como ocorreu no ano passado.

Para minimizar o risco de oscilações de preço, a sugestão para os confinadores é fazer uma avaliação com relação à ferramenta de trava de preços, mesmo que seja com o frigorífico e utilizando o contrato a termo. A atenção do confinador deve estar voltada também para a qualidade dos insumos utilizados, que estão com preços elevados, como milho e soja, apesar da supersafra desses produtos no Brasil.

Em resumo, as expectativas para o mercado de confinamento na temporada de 2023 são positivas, especialmente devido à demanda chinesa. No entanto, é importante avaliar os custos e considerar estratégias de proteção de preço para minimizar os riscos de oscilação.

Já segue nosso Canal oficial no WhatsApp? Clique Aqui para receber em primeira mão as principais notícias do agronegócio
Por:
Aleksander Horta
Fonte:
pinnacle

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • nelson jose camolesibauru - SP

    O autor desta notícia, a mim me parece que está em outro planeta, ou tem interesses escusos.Se diz que pelas contas da SCOT, o confinamento voltou a dar altos resultados, poderia ao menos ter a benevolência de disponibilizar as referidas contas, para nós simples mortais. Passamos horas, dias e meses, fazendo contas e não conseguimos fechar no positivo. Então vem o Sr. Felipe Fabri,com a maior traquilidade dizendo que agora, pelas suas contas, está tudo ótimo para o seguimento. A serviço de que está enfim? Dos frigoríficos é claro. É só para eles que está voltado o interesse desta referida consultoria. É claro também que o Sr. F. Fabri não irá disponibilizar as contas, como já não o fizeram, outros analistas da SCOT em ocasiões semelhantes anteriormente. Espero porém que eu esteja enganado desta vez e que para a felicidade nossa, confinadores em geral, a SCOT publique como foi que achou o caminho para tornar o confinamento viável, ao invés de guardar somente para si mesma este segredo. Caso queiram entrar em contato o meu celular é (14) 99644 0650. Abraço a todos.

    0
pinnacle Mapa do site